terça-feira, 6 de junho de 2017

Feijoada de Deus

Não é sempre que posso afirmar que gostei muito de um prato de feijoada tradicional mas foi exatamente o que me veio ao palato na visita à feijoada do Lagoon promovida pelo restaurante Mauá.

 

O Lagoon Gourmet é um polo gastronômico campeão nos quesitos marcas e localização com vista privilegiada. Aqui vc encontra renomados restaurantes integrados harmonicamente no mesmo ambiente. É como se vc estivesse numa grande casa com uma sala de estar comum e uma linda varanda para relaxar.

 

O Mauá é uma das casas de sucesso do Grupo Pax sob o comando do restauranteur Roberto Maciel. A primeira unidade funciona no Museu de Arte do Rio e contam com o criativo menu de brasilidades do chef Marcone Deus.

Vc pode escolher aguardar uma mesa na varanda com vista para a Lagoa ou simplesmente se acomodar em um dos ambientes interno e externo do Mauá. O apetite avançado do meio da tarde nos impulsionou para uma mesa na entrada do restaurante com visão avantajada para o buffet.

 

Novidade aos sábados desde abril deste ano a feijoada é servida com batidinhas para abrir o apetite e caldinho de feijão para acompanhar. Maracujá, tangerina, caju e limão fazem as honras da casa. O capítulo petiscos com linguicinha e torresmo é daqueles em que vc perde a noção da dieta.

 

Preferimos sempre começar petiscando um pouco para depois com calma degustar calmamente um prato com as carnes e acompanhamentos. Costelinhas suínas soltinhas, lombo, paio, calabresa tenros, farofa de cebola, puré de abóbora e couve mineira fizeram a minha festa. Depois repetiscamos um pouco mais e finalizamos com o doce de coco queimado com queijo.

 
 

A simpática Jéssica nos recepcionou durante a visita, sempre solícita e sorridente, cuidando da nossa mesa e da nosso bem estar. Agradecemos o gentil convite da Midiática Press para a degustação.

 

Voltando ao início do post, há muito tempo não degustávamos uma feijoada tão gostosa... e já me desculpando pela infâmia, é de Deus !

Serviço:
Mauá (Lagoon Gourmet)
Av. Borges de Medeiros, 1424 - Lagoa
Tel 21 22449628
http://www.lagoongourmet.com.br/maua.php

R$ 79, a feijoada livre no buffet com batidas (sem sobremesa)


sábado, 27 de maio de 2017

Feijoada de Camarões - A Mesa

Confesso que estava à espera de uma feijoada de camarões para conhecer e divulgar. A dica veio de uma amiga em comum com o Vilmar, artista plástico que atua no eixo Búzios-Rio.

A feijoada foi servida no atelier do Morro da Conceição no Rio durante o evento A Mesa organizado a cada dois meses. Nesta ocasião o atelier do Vilmar recebe artistas convidados com exposições e instalações para divulgação de seus trabalhos e troca de idéias.

  

Uma grande mesa na pracinha em frente ao atelier serve de apoio para o serviço e ali mesmo o Vilmar finaliza a receita que trouxe de Portimão em Portugal durante sua visita à terrinha. Acompanha feijão branco, legumes e toucinho, arroz branco, couve mineira e farofa. Batidinhas de maracujá e de café, além de cerveja gelada fecham a programação que começa às 16h e adentra a noite com encontro de poetas.

 
 

Chegamos mais cedo para passear um pouco pelo local que frequento desde 2008 quando sediava o evento Porto Cultural. Aparentemente quase nada mudou desde então. Os botequins são os mesmos e os moradores ainda colocam as cadeiras na calçada enquanto as crianças brincam na rua.

 
 

Uma novidade é o pessoal do Cosmonautas Mosaicos que vem enfeitando a escada de acesso a partir da Rua do Acre e tem tudo para se tornar um point no estilo Selarón. Eles também promovem a troca de mudas de plantas em eventos como o do próximo sábado. Vale a pena passar lá e conhecer o trabalho.

  

Serviço:
Feijoada de Camarões
Rua Jogo da Bola, 119 - Morro da Conceição, Praça Mauá

R$ 15, o prato feito

A Mesa é um espaço laboratorial para produzir (e pensar) encontros entre múltiplas linguagens artísticas, das artes visuais à poesia e à música contemporânea. Não há um conceito limitador, há apenas um desejo coletivo de construir esse território artístico relacional: uma festa, mesa posta.

https://www.facebook.com/pg/A.MESAexperiencia

Acesso de carro pela Major Daemon a partir da Rua do Acre
Acesso à pé diversos a partir da Pedra do Sal e Largo da Prainha

Encontro de troca de mudas
Sábado dia 3 de junho a partir das 14h
Ladeira Felipe Ney, 11  (acesso a pé pela Rua do Acre)

https://www.facebook.com/events/216973602150263/

domingo, 21 de maio de 2017

Petrópolis (ou a serra do Alemão)

Subir a serra é sempre um programa de descobertas e tradições. Você entra literalmente no clima à medida que a serração vai aparecendo e encobrindo as montanhas. Logo na chegada à Petrópolis a parada na Pavelka é mais do que obrigatória.

 

Fundada em 1952 pelo casal de imigrantes tchecos Vladimir e Helene Pavelka, a pequena casa de frios com azulejos e mesas de fórmica coloridas sempre atraiu os visitantes.

Quando criança, gostava especialmente de chegar à noitinha com serração e esperar a confirmação: "Vamos parar no Alemão". Era aqui que meu avô e meu pai compravam frios e fazíamos um lanche com o tradicional sanduíche de linguiça que é exatamente o mesmo desde que frequento a região, ou seja, uns 52 anos.

A segunda parada era a casa vizinha para comprar biscoitos amanteigados e que convenientemente com o tempo mudou o nome para Casa do Alemão passando a disputar a clientela com produtos similares aos da Pavelka.

Entendeu agora quem é o alemão original ? Claro que é uma questão de gosto pessoal mas nunca abandonei o meu lanche favorito.

 

Nosso destino desta vez era Araras, distrito de Petrópolis conhecido pelas belíssimas paisagens.

Uma parada para compras na Rua Teresa e aguardo no boteco de raiz. Outra parada agora para comprar biscoitos amanteigados. De minhas muitas lembranças da infância em Petrópolis lembro bem de acompanhar meu avô Cláudio até a antiga casa de biscoitos do Sr Gastão onde uma conversa gentil era trocada antes de tudo. Ali meus olhos brilhavam e aguardavam pelas delícias que derretiam na boca. Especialmente sou fã até hoje dos biscoitos de araruta. Um café acompanha muito bem.

 

Ainda no Centro e já no caminho para estrada via Bingen passamos por uma esquina animada e resolvemos checar. Era a tradicional choperia Gehren. Fundada em 1941 como bar e leiteria, desde 1981 é tocada pela família Reuhter. De alemão para alemão a choperia passou por algumas reformas e aqui 7 x 1 não tem graça.

 
 
 

Pedimos chopps Itaipava e na sugestão do garçom a linguiça suína de whisky e laranja. Ajoelha e reza. Hora de agradecer aos colonos alemães que escolheram esta cidade para povoar.

 

Chegamos afinal ao nosso destino em Araras, o delicioso chalé da antiga pousada Pirineus com propriedade hoje tocada pelo simpaticíssimo casal de anfitriões Monica e Luis no sistema Airbnb.

Pense no paraíso ? Colada na pedra Maria Comprida e com ampla vista para a cadeia de montanhas da região, o local era tudo que precisávamos para um perfeito final de semana. Desafio da lareira cumprido, hora do brinde e relaxar admirando a vista.

 
 

No dia seguinte após o sono dos justos fomos visitar o Vale das Videiras, conhecido pela prática de mountain bike e caminhadas. Soubemos que aos sábados tem uma feira de produtos orgânicos e ainda conseguimos o último meio quilo de feijão vermelho da roça, gentilmente cedido por amigas que fizemos ali mesmo no boteco da pracinha.

De feijoada neste post apenas o belo conjunto de louça à venda no Galpão Caipira no vale. Anotamos algumas dicas para a próxima viagem, levamos queijo do Sítio Solidão e paramos para admirar o trabalho do Zé Preto.

 
 

O que mais se pode desejar da serra ? Local perfeito para a nossa comemoração de namoro.


Serviço:

Pavelka
Km 82 da BR-040, Quitandinha - Petrópolis
Tel (24) 2245-4102
R$ 12, o sanduíche de linguiça suína com queijo

Biscoitos do Sr Gastão
Rua 7 de abril, 420, Centro - Petrópolis
R$ 35, o quilo

Choperia Gehren
Rua Montecaseros, 626, Centro - Petrópolis
Tel (24) 2231-8445

R$ 39, a linguiça Capriata com whisky e laranja
R$ 7, o chopp claro ou escuro
R$ 12, o chopp Weiss

Chalés Pirineus
Tel (21) 97631-9994 Luis Carlos

sábado, 13 de maio de 2017

Comida di Buteco - Bonde Zona Sul

Encerrando a nossa pesquisa seletiva do melhor petisco do festival com porco e feijão partimos para o Bar dos Amigos no Horto. O acanhado botequim tem na simpatia do garçom seu melhor atributo. Abriu uma mesa nova ali na rua mesmo pois a calçada já estava lotada. A cerveja também veio em boa temperatura mas o petisco... era para ser um quibe de carne de porco mas nem com muito boa vontade achamos um pedacinho só que desse o gostinho. A visita foi rápida e partimos.

 

O Palhinha é um simpaticíssimo boteco cravado numa curva do Largo dos Leões e que já visitamos em outras edições do festival sempre com satisfação. Nossa expectativa era portanto elevada para o rocambole de carne suína com parma e queijo empanado na farinha Panko e acompanhada de fatias caramelizadas de abacaxi. Para tristeza do Bonde, a carne não estava 100% cozida e o empanado estava descolando sem esforço algum. Disse o staff que eles não esperavam tanto movimento mas é aquela coisa né ? Se não sabe brincar...

 

Uma esquina de Botafogo nos aguardava com outros dois participantes. Chegamos ao Bar da Foca, famoso por acolher animadas turmas de estudantes das faculdades vizinhas. Pausa. Inspira. Expira.

  

Cerveja mega gelada a R$ 8. O petisco era um sanduíche de pernil e queijo. Ok, vc já viu este sanduíches em muitos botecos por aí mas este aqui teve a carne de porco cozida lentamente na panela de pressão apenas com azeite e temperos. A receita do pão é também do Avelino, um dos sócios que passou a levantar na madruga para assar estas belezuras do trigo. É servido com queijo derretido e teryaki de gengibre. Chora, não vou ligar. Se vc não provou, vai chorar de tristeza e arrependimento.

Mas ainda tínhamos a última visita da tarde outonal. No outro lado da rua nos aguardava o Duque. Com ambiente arrumadinho e equipe atenciosa o bar impressiona. 

 

Pedimos a batida de paçoca servida numa generosa dose e o petisco de kaftas de carne de porco com molho de hortelã e pimenta e farofa de milho com bacon para dar o toque cereal do concurso. Muito gostoso, um pouco grosseiro na finalização mas com fritura e textura perfeitos.

  

Se não houver preconceito dos jurados pode anotar que o campeão chegou em forma de sanduíche! 


E assim findamos mais uma etapa de nossa participação eletiva no festival. Até o próximo !


Serviço:

Bar dos Amigos
Rua Pacheco Leão, 1124 - Loja A - Jardim Botânico (Horto)
Tel (21) 3114-7924
R$ 25,90 o petisco Refugiado

Palhinha
Rua Humaitá, 12 - Loja C - Humaitá
Tel (21) 2539-5709
R$ 25,90 o petisco Porquinho Havaiano

Bar da Foca
Rua Farani, 23 - Lojas A/B - Botafogo
Tel (21) 2553-7045
R$ 25, o petisco Porcolino

Duque
Rua Barão de Itambi, 67 - Botafogo
Tel (21) 3283-5916
R$ 21, o petisco Porco não chia