domingo, 17 de maio de 2015

Receitas de família: Feijão branco e pancetta

Gosto muito de experimentar as variações da feijoada em receitas caseiras que são sempre especialmente preparada com segredos de família. Neste domingo os amigos Paulo e Ananda convidaram para um "feijão" na casa deles.

Educadamente levei um Putto italiano, neste caso, um chianti DOC para acompanhar o almoço.


As grandes descobertas da gastronomia são muitas vezes obra do acaso. O Paulo havia testado a produção de pancetta de lombo que acabou muito salgada para o consumo. A saída foi misturá-la à costelinha e linguiças para temperar o feijão branco. O resultado perfeitamente balanceado veio acompanhado de arroz branco e farofa de alho.




Domingo é bom assim, amigos e família reunidos no entorno da boa mesa com muito bom papo durante a tarde toda.

Shalom  e boa semana !


Passo a passo:

Feijão branco por Ananda Salerno

1 kg feijão branco ( colocados de molho na véspera)
2 paios ( podiam ser 3)
250 gr touçinho defumado em pedaços
Azeite
1,3 kg costelinha de porco ( temperados com alho, sal, limão e pimenta do reino na véspera)
1 kg de pancetta ( que foi o porco que o Paulo preparou, pode substituir por um quilo de lombo com capa de gordura, cortado em cubos grandes e temperados de véspera com sal e páprica picante defumada)
2 pimentas dedo de moça picadas sem semente
2 colheres de sopa de alho picado ( pique seu próprio alho!)
1/2 kg cebola picada
1 pimentão grande picado ( verde ou vermelho)
1 sachet de extrato de tomate
1 colher de sopa de orégano
1 peito de frango  com osso cortado em pedaços temperado com alho, sal, limão e pimenta do reino ( o frango é opcional)
5 cenouras cortadas em pedaços grandes
3 folhas de louro
Sal o quanto baste
Água fervente o quanto baste.

Numa panela grande o suficiente para conter todos os ingredientes coloque o azeite e o touçinho e deixe o touçinho fritar até a gordura derreter e ele estar dourado. Acrescente o alho, deixe dourar, depois a cebola. 

Quando a cebola estiver quase transparente junte o pimentão e a pimenta dedo de moça, deixando refogar bem sem queimar.
Em seguida acrescente o feijão branco escorrido e o extrato de tomate e deixe refogar.
Enquanto isto, em outra panela doure em azeite as costelinhas e o lombo  ( aos poucos, para selar a carne, não para cozinhar) e reserve. Corte cada paio em 4 e afervente - os, para retirar o excesso de gordura.
Quando o feijão estiver refogado, acrescente água fervente que ultrapasse cerca de três dedos seu volume, e deixe ferver.
Acrescente as carnes seladas, o frango em pedaços, o paio, a cenoura, o orégano e o louro.
Não coloque sal imediatamente, deixe começar a cozinhar para poder avaliar bem, pois as carnes foram previamente temperadas.
Mexa frequentemente, mas com cuidado para não despedaçar as carnes, a cenoura e o feijão; acrescente água fervente sempre que necessário, para que o feijão tenha caldo. Estará pronto quando o feijão estiver cozido. 

NÃO USE PANELA DE PRESSÃO: o tempo longo de cozimento apura o sabor!
Sirva com arroz branco feito na hora e uma farofinha de alho e bacon.

sábado, 9 de maio de 2015

Confraria do Chapéu Panamá

Feijoada carioca ou marítima ? Cerveja ou cachaça ? Samba ou chorinho ? Chuva ou sol ? A Confraria do Chapéu Panamá é tudo isto junto e misturado. Seja bem vindo ! Se for de Paz pode entrar.


Com reuniões semanais aos sábados na Rua do Ouvidor em frente à barbearia do César Fraga, nosso presidente, os confrades são atraídos pela simpatia que reina no local. 


A cada quinzena a roda de samba reveza com a de choro. Sempre música de qualidade e que a cada intervalo conta com a intervenção do César atuando como DJ de sua impecável seleção musical.


Para entrar na turma não tem frescura, nem convite. Basta ser bom de papo e de simpatia, gostar de música e de preferência trajar um Panamá. Se não tiver pode comprar o seu legítimo ali na barbearia mesmo. 


Temos mesa cativa e cada um cuida da sua conta. Para comer e beber contamos com os vizinhos Antigamente e Toca do Baiacu que oferecem pratos espetaculares e drinks como caipirinha de abacaxi com pimenta ou aquele chopp no grau.



E para completar passe na tabacaria da rua e escolha um cubano para tirar onda !



Nas minhas andanças pelo Centro sou figurinha fácil do meio da tarde até ao anoitecer, quando às 18 hs a roda termina, o bar fecha, e ficamos por conta do som da barbearia que recentemente foi palco de festa de coletivo sonoro moderninho. É simplesmente o puro reconhecimento do que generosamente o César vem fazendo em prol da coletividade que frequenta a Ouvidor.



Ave César ! Vida longa aos Confrades ! 




Jam session



Serviço:
Confraria do Chapéu Panamá
https://www.facebook.com/confrariadochapeupanama.chapeupanama

Ponto de encontro: Sábados na Barbearia Club XV da Rua do Ouvidor


sexta-feira, 1 de maio de 2015

Comida di Buteco - Fase 6 a 10

Nesta etapa focamos a zona norte da cidade, onde pululam botecos originais e criativos. A preparação começa no dia anterior escolhendo os botecos a partir da composição dos petiscos. Na manhã do evento é bom reservar espaço suficiente para as degustações.

Apesar do blog privilegiar os petiscos de carne de porco e feijão para manter a temática da feijoada, incluimos também outros concorrentes pelo simples quesito da gula.


Fase 6: Mani&Oca
Nosso desjejum começou com o poético amor de Lampião e Maria Bonita, aqui representados pelos escondidinhos de carne de porco desfiada, mandioca, leite de coco polvilhado com amendoim, uma delícia para abrir nossa caravana, e uma intrigante composição de carne seca, queijo de coalho e graviola, que dividiu as opiniões pela marcante presença da fruta. Eu gostei !

Rua Joaquim Palhares, 513 - Praça da Bandeira
Tel 21 35761127



Fase 7: Bar da Frente
Ganhador da edição 2014 do festival, o boteco veio com o bolinho Caprichoso Garantido, recheado com camarão e queijo, acompanhado de molho de taperebá. Sucesso total ! A receita agradou em cheio e recheio. Temos outro finalista com certeza !

Rua Barão de Iguatemi, 388 (em frente ao Aconchego Carioca) - Praça da Bandeira
Tel 21 2502-0176




Fase 8: Bode Cheiroso
Este legítimo pé-sujo fundado em 1945 está na terceira geração da família, agora representada pelo Leonardo, que mantém tudo originalmente no cardápio. Não é à toa portanto, que o bar está sempre concorrido. Abrimos aqui uma exceção para começar com petiscos típicos do balcão, para só então passarmos para o Crocamabode, uma generosa porção de camarões empanados em castanha de caju e acompanhado de molhos cítrico e maracujá. Na minha singela opinião faltou temperar os camarões antes da fritura mas o resultado na boca é muito bom !

Rua General Canabarro, 218 - Maracanã
Tel 21 2568-9511




Fase 9: Bar do Momo
Retomamos a temática do blog com o Bêbado e o Equilibrista, representados pelo espetacular sanduíche de pernil molhadinho desfiado com maionese defumada, picles de carambola numa baguete de leite prensada na chapa. Coisa de quem sabe o que faz ! Acompanha geléia de pimenta e batida de maracujá.

Rua General Espírito Santo Cardoso, 50 - Tijuca
Tel 21 2570-9389

 

Fase 10: Bar du Bom
Especialidade da casa, o Duo Bom traz uma dupla de croquetes de rabada com jiló acompanhados dos molhos chutney de goiabada e manga. Nada melhor para nosso final de tarde ao pé da serra.

Rua Grajaú, 247 - Grajaú
Tel 21 2571-3370


Encerramos a tarde de caravana na certeza de muitas descobertas e novas amizades, ainda que temporárias, pois o clima do festival permite o congraçamento de botequeiros ao longo do trajeto, trocando dicas e opiniões sobre os petiscos concorrentes.

Viva o Boteco !